1/1

A história do baixo elétrico

 

Baixo elétrico, contrabaixo ou apenas baixo, como o chamamos, é um instrumento no notas graves e intensas e de grandíssima importância em uma banda. Se você é um apaixonado por ele, vai gostar de acompanhar o texto de hoje, onde contaremos a sua história. Continue a leitura!

 

O início

O baixo elétrico, assim como a guitarra, nasceu da necessidade de preencher a potência sonora dos instrumentos acústicos que eram utilizados em estilos como rock, blues e jazz. Em meados dos anos 50, quando as bandas começaram a ficar cada vez mais requisitadas, a grande preocupação dos baixistas era em relação ao transporte de seu instrumento. Seu tamanho e material o tornava mais sensível e difícil de ser carregado. Foi então que em 1951, Leo Fender criou o baixo elétrico. Mais dinâmico e diferente do clássico contrabaixo, o novo formato do instrumento foi apelidado de “Precision” e logo ficou conhecido como Fender Bass. Esse modelo continha trastes para que as notas fossem tocadas com mais precisão e um microfone foi colocado entre o pescoço e a ponte.

 

A evolução

Nos anos seguintes, diversos fabricantes colocaram no mercado suas variantes e o baixo elétrico ganhou importantes mudanças e características, como:

  • pré-amplificadores integrados para aumentar graves e agudos;

  • o Fretless, que marcou a volta do baixo sem trastes;

  • baixo de seis cordas;

  • afinação de subgraves;

  • baixo elétrico acústico, para apresentações desplugadas, etc.


Captação ativa e passiva

Não podemos falar do baixo sem mencionar  esse ponto. Os  baixos  elétricos  possuem um circuito de captação que pode ser ativa ou passiva. O que as diferencia é o tipo de som emitido. A captação ativa exige maiores regulagens de timbre, enquanto na passiva o som sai mais natural. Ambos são boas opções e no momento da compra tudo depende de seu gosto pessoal e estilo que pretende tocar.

 

Leia também: Quando surgiu a primeira bateria?

 

Baixo ou contrabaixo: qual a diferença?

Com certeza você já fez essa pergunta. O nome do instrumento está ligado a classificação das vozes na música clássica: baixo é a categoria das vozes masculinas, que possuem um timbre potente e grave, enquanto o contralto classifica os timbres femininos, mas que também possuem tessitura mais grave.

 

 

Partiu tocar baixo?

O baixo é um instrumento de muita importância em qualquer estilo. Portanto, se você quer explorar as possibilidades que ele oferece, pode começar hoje mesmo seus estudos. Aqui na EM&PM você pode aprender ou aperfeiçoar sua técnica por meio de aulas presenciais e aulas ao vivo online. Então não perca tempo! Entre já em contato conosco, conheça nossa escola e saiba mais sobre o curso.

Please reload

Destaque

Camerata EM&PM 2016

June 25, 2016

1/1
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por Tags
Siga-nos
  • Facebook Basic Square